Por que mais de 60% dos brasileiros tem visto permanente no Japão

0
5654
visto permanente
visto permanente, visto de brasileiro, brasileiro no japao,

O Portal Oficial de Estatísticas do Japão e-Stat, divulgou em 20.2.2017 os dados oficiais do governo japonês relativos aos estrangeiros residentes no arquipélago (até a presente data, são os dados mais atuais).

Estão registrados 185.967 brasileiros residentes, sendo que 2.062 pessoas estão incluídos entre os que tem vistos que não são de trabalho (vistos consulares, estagiários, professores, profissionais especializados, etc). Os demais, tem o visto de longa permanência. Nestes números não estão incluídos pessoas com visto de turista (curta permanência). Também não estão sendo considerados aqueles que receberam cidadania japonesa, ou que casaram com japoneses e os filhos mesmo tendo dupla nacionalidade, não são registrados como estrangeiros.

Classificação por tipo de visto de permanência –

Dados de junho de 2017

É chamado de visto específico o tipo de visto de longa permanência que possibilita ao estrangeiro trabalhar no Japão. Está divido em categorias:

Nihonjin no Haigushas – para cônjuges e filhos de japoneses (nissei)
Teijusha –  cônjuges de filhos de japoneses e respectivos filhos (netos de japoneses=sansei). Alguns bisnetos de japoneses que nasceram no Japão, recebem esta categoria de visto (yoonsei)
Eijusha – visto permanente requerido por descendentes e respectivos cônjuges após residirem por algum tempo no Japão.
Eijusha no haigusha – cônjuges e filhos de pessoas que tem o visto permanente (eijusha).

Classificação data base junho de 2017:

Visto Permanente Eijusha = 112.163 (60,31%)
Visto de Haigusha (cônjuge e filhos de japoneses) = 16.232 (8,72%)
Visto de Teijusha (cônjuge de filhos de japoneses e netos de japoneses) = 52.577 (28,27%)
Visto de Eijusha no Haigusha (cônjuge e filhos de eijusha) = 2.933 (1,57%)

Tabela comparativa de 2006 a 2017

TOTAL Eijusha(permanente) Haigusha Teijusha Eijusha no Haigusha

2006

312.979

78.523

74.001

153.141

1.021

2008

312.582

110.267

58.445

137.005

1.773

2009

267.456

116.228

43.443

101.250

1.905

2011

210.032

119.748

23.921

62. 077

2.043

2012

190.609

114.641

19.519

53.053

2.072

2014

175.410

111.077

15.565

44.559

2.404

2015

173.437

109.361

14.995

44.827

2.542

2016

180.923

109.561

15.421

46.814

2.622

2017

185.967

112.163

16.232

52.577

2.033

 

 

O pico da comunidade brasileira no Japão foi entre 2006 a 2008, com mais de 300.000 residentes. Neste período houve um grande crescimento de brasileiros que solicitaram o Visto Permanente no Japão.

A primeira redução de residentes foi após a crise do Leman Brothers em 2008. Em seguida, com o Grande Terremoto Higashi Nihon em 2011. Crise financeira,Terremotos, crise da usina nuclear foram motivos que levaram muitos brasileiros a retornarem ao Brasil. Em 2012 a comunidade reduziu em 40% em relação ao ano de 2006.

Desde 2012 tem se mantido dentro da média nos últimos anos. Em 2015 foi notado a maior baixa da comunidade, mas no ano seguinte já mostra sinais de um leve aumento (5,2%). De 2012 a 2017 o número de vistos permanentes, para nisseis, teijusha não tem tido alterações proporcionais.

Em 2006 o número de Vistos Permanentes representava 25,08% dos vistos dos residentes brasileiros. Atualmente, representa 60,31%. Isto significa que menos de 40% renovam o visto no prazo de vencimento.

Porque os brasileiros solicitam o visto permanente?

Os primeiros brasileiros que aqui desembarcaram na década de 90, vieram com planos de trabalharem 3 anos, juntarem dinheiro e retornarem ao Brasil. Pouco antes de terminar esta década, o objetivo dos dekasseguis (pessoas que vieram ao Japão para trabalhar) sofreu mudanças com a instabilidade econômica do Brasil, resolveram ficar mais um tempo… Coincidiu também com o período de grande oferta de trabalho para os estrangeiros aqui…

Renovar o visto de permanência requer além de tempo, o dinheiro (taxa da Imigração, taxa de tradução, taxa de solicitação de documentação, etc). Pessoas que vieram solteiros, aqui constituíam famílias, e a despesa para renovação de visto aumentava na mesma proporção. Tirar o visto permanente foi uma das saídas.

O visto de longa permanência é liberado para o cônjuge de japoneses, filhos e netos. Os bisnetos, que seria a quarta geração, se estiverem morando aqui com os pais terão o visto de permanência aprovados. Mas ao retornarem ao Brasil, não serão concedidos o visto, por serem yonseis (quarta geração). Para garantir a continuidade de residência no Japão, o visto permanente tem sido uma das soluções.

Vantagens do Visto Permanente

Para se conseguir o visto permanente é necessário morar e trabalhar no Japão por mais de 5 anos (com exceção dos nisseis), comprovando estar em dia com as obrigações sociais (comprovação de renda, pagamento de impostos, etc). Significa que muitos que vem para a Terra do Sol Nascente, por aqui ficam por um longo tempo.

Com a crise de 2008 e 2011, as horas extras foram drasticamente reduzidas, os salários foram rebaixados, e a grande maioria foi inscrita no Seguro Social (Seguro Saúde, Aposentadoria, Seguro Desemprego) que retêm uma boa porcentagem do salário, o que não acontecia nos tempos iniciais da fase dekassegui.

Assim mesmo, uma grande maioria ainda permaneceu no arquipélago, mas o objetivo deixou de ser uma poupança para retornar ao Brasil, e sim, construir sua vida em definitivo no Japão e solicitaram o visto permanente.

Ter o visto permanente garantiu aos estrangeiros várias facilidades, como adquirir telefones celulares, cartões de crédito, comprar carros com financiamento, alugar imóveis. Os filhos antes matriculados em Escolas Brasileiras, começaram a frequentar as Escolas Japonesas… Afastados do mercado de trabalho brasileiros por longo período de tempo, com o avançar da idade para começar do zero, muitos pais resolveram morar em definitivo no Japão com suas famílias. O visto permanente garantiu o sonho da casa própria.

A outra grande vantagem do visto permanente é que o não descendente ao separar do cônjuge descendente, poderá continuar residindo no Japão e contrair novo matrimônio, mesmo com pessoas não descendentes. O novo cônjuge e respectivos filhos receberão o  visto de permanência de Eijusha no Haigusha. Com o passar dos anos, estes também poderão solicitar o visto permanente.

Com a estagnação do aumento populacional da comunidade brasileira, os asiáticos (como filipinos, vietnamitas) tiveram um grande acréscimo de residentes no Japão, ocupando várias fatias do mercado de trabalho, até então preenchidas pelos brasileiros e latinos (peruanos, paraguaios, argentinos,etc).  Por longos anos o Brasil ocupou a terceira colocação no ranking dos estrangeiros no Japão. Atualmente ocupa a quinta colocação, ficando depois da Philipinas e Vietnã.

Desde o final de 2017, cogita-se a liberação do visto de longa permanência para os yonseis, ou seja, bisnetos de japoneses. Dependendo das condições da aprovação deste projeto, pode ser que gradativamente volte a aumentar a comunidade brasileira no Japão. Estes futuros candidatos encontrarão uma sociedade mais habituada em lidar com estrangeiros no local de trabalho, porém mais rigorosos e exigentes em relação ao passado.


Fonte* Ministério da Justiça – Portal Oficial de Estatísticas do Governo Japonês

Leia também:
Quais as vantagens de ter o visto permanente?
Documentos necessários para o Visto Permanente
Comunidade Brasileira por província no Japão – Data base 2015
226 cidades com mais de 100 brasileiros residentes no Japão – Data base 2015
Ranking das cidades com mais brasileiros na região de Chubu – Data base 2015
Quantos brasileiros residem atualmente no Japão? Data base 2015 (2000,2012,1013)
Dados da comunidade brasileira no Japão em 2016
Ranking das 10 Províncias com mais estrangeiros no Japão – Data base 2017
232 cidades com mais de 100 brasileiros residentes em 2017
Faixa etária dos brasileiros no Japão – Data base 2017
Saiba em quais províncias residem os brasileiros no Japão – Data base 2017


DEIXE UMA RESPOSTA