Como proceder em caso de acidente nuclear

0
537

Em caso de acidente nuclear, é muito importante ter em casa, uma reserva de alimentos, líquidos e materiais de primeira necessidade. Após o acidente, além de evitar sair de casa,  muitas lojas estarão fechadas ou terão seu estoque zerado em pouco tempo.

Em japonês: 
原子力事故    <genryojiko> acidente nuclear e radioativo
原子力発電所 <genryoku hatsudensho> usina nuclear
放射線          < houshasen > radioatividade
放射線測定器 <Hōshasen sokutei-ki> medidor de radiação

Antes de falarmos sobre procedimentos, uma breve explicação sobre a escala INES que mede a intensidade dos danos causados por um acidente nuclear.

Escala para medir danos causados por acidente nuclear

internacional-nuclear-event-scale Como proceder em caso de acidente nuclear
国際原子力事象評価尺度 – International Nuclear Event Scale, INES

Nível 7 : Grande acidente
Grande lançamento de material radioativo, com efeitos na saúde e ambientais generalizados que exigem aplicação de contra medidas planejadas e estendidas. Caso de Chernobyl (26/04/1986) e Fukushima(11/03/2011).

Nivel 6 : Acidente grave
Libertação significativa de materiais radioativos susceptíveis de exigir a implementação de contramedidas previstas. Caso de Desastre Kyshtym na União Soviética(29/09/1957)

Nível 5 :  Acidente com consequências mais amplas
Liberação limitada de material radioativo provável que exigem a implementação de algumas medidas preventivas previstas.Várias mortes por radiação.

Nível 4 : Acidente com consequências locais
Menor liberação de material radioativo pouco provável que resulte na aplicação de outras do que os controles alimentares locais contramedidas previstas. 
Pelo menos uma morte por radiação.

Nível 3 : Incidente grave
Exposição superior a dez vezes o limite legal anual para os trabalhadores. efeito não letal determinista saúde (por exemplo, queimaduras) a partir de radiação.

Nível 2 : Incidente
Exposição de um membro do público em mais de 10 mSv. Exposição de um trabalhador que excedam os limites anuais legais

Nível 1 : Anomalia
Superexposição de um membro do público além dos limites anuais legais. Pequenos problemas com componentes de segurança com significativa de defesa em profundidade restantes.

Após o acidente nuclear de Fukushima, o Japão conseguiu fazer a evacuação em 3 dias de 140 mil pessoas em 20 km numa região já atingida pelo terremoto e tsunami, ou seja, toda a infraestrutura (estradas, energia, água, veículos) severamente comprometida.

Usinas nucleares no Japãousinas-nucleares-no-jap Como proceder em caso de acidente nuclear


Procedimentos em caso de acidente nuclear

Apresentamos abaixo, o conteúdo da Cartilha elaborada  Comissão Nacional de Energia Nuclear (CNEN),  do Brasil, para ajudar os  brasileiros  residentes no Japão a se protegerem caso haja uma elevação significativa no nível de radiação em território japonês. São medidas  que qualquer um  pode tomar em  casa, no local de trabalho ou mesmo quando houver necessidade de algum  deslocamento.

A elevação dos  níveis  de radiação só  pode ser percebida com  equipamentos  apropriados.  Portanto, é de extrema  importância ficar atento a rádios, jornais, internet, televisão, carro de som, ou qualquer outro meio de comunicação que possa ser usado pelas autoridades japonesas para passar informações e instruções de segurança à população.

Seja qual  for a realidade apresentada, manter a calma é fundamental para melhor se planejar e seguir instruções de segurança.


A PRIMEIRA RECOMENDAÇÃO É NÃO TOMAR QUALQUER ATITUDE A MENOS QUE SEJAM RECOMENDADAS PELAS  AUTORIDADES JAPONESAS.


MEDIDAS PREVENTIVAS CASO SUA REGIÃO SEJA ALCANÇADA POR NUVEM RADIOATIVA 


Existem maneiras de evitar que o material radioativo seja depositado no seu corpo e nos seus pertences, ou ainda que haja inalação ou ingestão do material.  É importante seguir um ritual de limpeza, semelhante ao que já vimos para evitar a gripe tipo A.

COMO EVITAR CONTAMINAÇÃO DAS SUPERFÍCIES

Caso seja fundamental sair à rua, use boné, guarda‐chuva e capa. Ao chegar em casa, retire‐os e isole‐os em sacos  plásticos.

Não entre em casa  com os calçados que usou na rua. Normalmente, o chão (gramados, calçadas e ruas) fica mais  contaminado e, durante sua caminhada, a poeira radioativa pode aderir aos calçados e barra das calças. Ao tirá‐los,  antes de entrar em casa, você evita que essa contaminação seja levada para dentro de sua  residência.

Não use dentro de casa a vassoura, panos e pá de lixo que usou fora de casa. Reserve um local para colocar objetos  potencialmente contaminados (tipicamente tapetes,  panos de chão, sapatos  e meias). Caso tenha certeza de que estejam contaminados, isole‐os em sacos plásticos.

Não ligue sistemas de ventilação de ar que tragam o ar de fora para dentro de casa. Em casos extremos, você pode “selar” as janelas e frestas com fita crepe, para manter o ar da sua casa mais limpo que lá fora.

◆ Lave as mãos com frequência. Normalmente, água e sabão retiram a contaminação. Evite usar abrsivos, pois isso pode agravar a absorção de material radioativo pela pele. Tome um banho ao entrar em casa.

◆ Limpe seus pertences com água, sabão em pó ou vinagre. Normalmente isso é suficiente como primeira medida para retirar a contaminação. Lembre‐se de usar luvas, avental e máscara para evitar que haja respingos para o seu corpo.  Pense também se vale a pena descontaminar ou descartar o objeto.

◆ Objetos que são manuseados pela população podem ficar contaminados, por exemplo: dinheiro, maçanetas, apoios,  etc.

◆ Feche as portas e janelas, desligue o exaustor, e evite o máximo possível, a entrada do ar externo

 


COMO EVITAR QUE A CONTAMINAÇÃO ENTRE NO SEU CORPO

As pessoas que voltarem de fora deverão lavar bem as mãos e o rosto, e trocar todas as roupas (as roupas que foram trocadas deverão ser colocados em sacos plásticos e armazenados separadamente).

Caso esteja fora, deve-se proteger a boca e o nariz cobrindo com máscaras, toalhas e/ou lenços molhados e bem torcidos para evitar a inalação dos materiais radioativo, evitando a radiação interna.

◆ As vias de ingresso no corpo são por inalação e ingestão.

◆ Evite levar as mãos à boca ou ao nariz.

◆ Lave as mãos e o rosto com frequência.

◆ Use máscara facial (dupla, e ligeiramente úmida é mais eficiente).

◆ Não beba água da chuva. Mantenha um bom estoque de água em garrafa na sua casa.

◆ Não beba nem bocheche com a água da torneira.

◆ Antes de abrir, lave bem os recipientes de água, leite, suco ou enlatados que possam ter ficado expostos ao tempo.

◆ Só consuma vegetais, pescados ou leite que tenham sido liberados pelas autoridades. Cubra os alimentos


 A MONITORAÇÃO DA POPULAÇÃO PARA VERIFICAR  CONTAMINAÇÃO
  • Caso seja monitorado para verificar se há contaminação, não se preocupe, é um procedimento de rotina. O detector é um aparelho seguro e poderá confirmar que você não está contaminado.
  • Por segurança, leve um calçado extra. Caso o seu esteja contaminado, ficará retido com as equipes de controle.
  • Se possível, solicite um certificado com o resultado da monitoração.

CASO SEJA NECESSÁRIO INGERIR IODO (CASO EXTREMO)
  • Ao ingerir iodo é de extrema importância ficar atento à dose e ao momento certo de ingestão desta substância, o que será  orientado  pelas  autoridades japonesas.
  • O iodo atua preenchendo a tireóide, o que evita a absorção do iodo radioativo. Ou seja, é um bloqueador da tireóide. Entretanto, ele só faz efeito se for tomado bem próximo ao momento em  que possa haver a exposição ao iodo radioativo. Caso contrário, não terá o efeito desejado.
  • A dose de crianças é a metade da dose para adultos. Qualquer dúvida, um médico deve ser consultado. Existem alternativas para quem tem sensibilidade a iodo.

O QUE FAZER CASO TENHA QUE SER REMOVIDO DE SUA RESIDÊNCIA.
  • Mantenha a calma.
  • O tempo de remoção foi planejado pelas autoridades para que aconteça sem correrias.
  • Leve o essencial: documentos, dinheiro, roupas, celulares, fotos e outros pequenos objetos de valor pessoal.

MATERIAIS DE LIMPEZA ÚTEIS PARA TER EM CASA:

Descartáveis de limpeza; luvas e máscaras; vinagre; detergente; sacos plásticos; fita crepe.


Esclarecimento de dúvidas

A CNEN está à disposição,  por meio do e‐mail: [email protected]
ou tel.: (005521) 21732302  ou (005521) 21732380.
A Embaixada do Brasil está atenta e mantém plantão pelo e‐mail [email protected]
em casos de emergência,  a chamadas pelo telefone:
discado de fora do Japão + 813 3404‐5211,
do Japão (03) 3404‐5211.

th Já existe à vendas nas lojas medidor de radiação disponível à população.
 放射線測定器 Hōshasen sokutei-ki
Interessados poderão acessar o Kakaku.com e conhecer os vários modelos e preços.


Fonte: Ministerio da Ciencia e Tecnologia,  Prevenção de Desastres da Provincia de Ibaraki

Estas informações foram úteis? Compartilhe com os amigos!

 


DEIXE UMA RESPOSTA