Dica para ir ao médico sozinha sem saber japonês

0
167

No Japão atualmente temos vários tipos de serviços de intérpretes para os estrangeiros residentes para atendimento em hospitais. Falei sobre isso aqui.

A postagem de hoje é para dar uma dica de como as pessoas podem ir sozinhas ao médico numa emergência quando não tem o suporte de intérpretes ou acompanhantes que dominam o idioma japonês.

Esta é minha experiência e graças a este método, consegui ir sozinha às consultas e alguns anos depois, eu acompanhava vários brasileiros como intérprete em hospitais.

Já sei, você vai falar que é difícil. No início não é fácil, mas não é impossível. Como trata-se da saúde sua e de sua família, acredito que todo esforço será super válido.

Reunindo material
01 caderno pequeno para anotações.
Caderneta de Saúde da Farmácia (para registro dos remédios)
Dicionário de termos médicos Japonês Português e vice versa

Caderno de anotações, qual a finalidade?

Manter o registro de suas idas ao médico. Com o passar do tempo, acabamos esquecendo vários detalhes, como nome de doenças, nome do hospital e até os sintomas.

Na primeira página, deixe o registro de dados que serão perguntados em qualquer consulta médica, como doenças graves que já teve, reações alérgicas, tipos de vacinas, internações e cirurgias, histórico de doenças graves na família (pais, irmãos, avós). Deixe listado e com a tradução em japonês (pode ser em romaji).

Nas próximas páginas você fará o registro de suas consultas, com os sintomas e diagnóstico, bem como nome do hospital e data. Assim, você poderá consultar sem recorrer à sua memória, pois acabamos esquecendo detalhes.

Como fazer o registro dos sintomas?

  • Primeiro liste em outro papel como rascunho, TODOS os sintomas que você tem, desde os mais fracos até os mais insuportáveis.
  • Coloque em ordem de gravidade, do mais grave para o menos grave dos sintomas.
  • Ao lado de cada sintoma, coloque a intensidade (+) (+-)(-)
  • Agora descreva o sintoma: dor latejante, dor aguda, dormência, dor contínua, pontadas, vista embaçada, zumbido no ouvido, etc.
  • Desde quando sente estes sintomas? Um dia, uma semana, um mês.
  • Outros dados, como levou um tombo, alguém da família teve uma infecção contagiosa (influenza, catapora), levou mordida de inseto, enfim qualquer informação relacionada aos sintomas.
  • Passe a lista a limpo no seu caderno de anotacões com as traduções, o que você não encontrar no dicionário de termos médicos, poderá procurar na internet. Se não souber kanji, coloque em hiragana ou katakana, se não souber, pode ser em romaji.
  • Anotar a data, hospital. Depois da consulta, registrar o diagnóstico. A medicação será registrada na sua Carteira de Saúde da Farmácia. Se algum remédio tiver efeito colateral, reação alérgica, ou não foi eficiente, deixe anotado. Na próxima vez, peça outro remédio no lugar.

Na consulta médica

Em alguns hospitais, as enfermeiras fazem um levantamento dos sintomas antes da consulta e dos remédios que está tomando atualmente, de outros hospitais. Mostre a sua lista, ajudará bastante.
Durante a consulta, se tiver alguma palavra que não entendeu, escreva no seu caderno. Mas confirme a pronúncia correta com o médico para não ter erros na comunicação.

Ao encerrar a consulta, peça para o médico informar o nome da doença ou o diagnóstico. Não precisa pedir atestado médico [shindansho], por que é cobrado e não é coberto pelo Seguro Saúde. Peça para ele escrever no seu caderno, e se possivel com furigana (escrita em hiragana da leitura do kanji), assim fica mais fácil para você verificar depois.

Para pedir Atestado Médico : [shindansho onegaishimasu]
Para pedir o nome da doença: [biome onegaishimasu]
Para pedir o diagnóstico : [ shindan onegaishimasu ]
Para pedir medicação em cápsula : [Kapuseru kusuri onegai shimasu]
Para pedir remédios em comprimido: [Jōzai kusuri onegai shimasu]

Depois da consulta, você poderá consultar através da internet, mais detalhes da doença diagnosticada. Isto é muito importante.

Organização e atualização

Se você criar o hábito de seguir estes procedimentos, ou mesmo adaptar para suas necessidades, ajudará bastante quando necessitar de um médico indo sem acompanhamento de intérpretes.

Pense que mesmo hoje, tendo intérpretes no hospital, ou na sua empresa, um dia as circunstâncias podem mudar. Você necessitar de um especialista que não tem intérpretes, mudar de cidade, mudar de emprego, enfim. Mesmo indo hoje acompanhado de interpretes, faça esta rotina de registros, para ir treinando, será útil numa emergência.

Dicionário de Termos Médicos Japonês /Português e Português /Japonês

Recomendamos o dicionário da Dra Elza Nakahagi. Médica brasileira há quase 30 anos no Japão, publicou em abril de 2019 a segunda versão atualizada e revisada do dicionário de Termos Médicos, com 12000 palavras.

Deixe o seu pedido nos comentários ou nilzayoshida.mkt@gmail.com .
Entraremos em contato.

Para conhecer mais sobre a Dra Elza Nakahagi leia aqui.

DEIXE UMA RESPOSTA